``Que nada nos defina, que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância, já que viver é ser livre.`` Simone Beauvoir

Sobre o evento

O projeto Adote uma memória, construa nossa História, é desenvolvido pela disciplina de História da Escola Técnica Estadual Professor Agamemnon Magalhães (ETEPAM), vivenciado desde 2013, constitui-se no estudo das memórias de vítimas da ditadura militar no Brasil que ocorreu no período de 1964 a 1985, permitindo o conhecimento mais detalhado sobre o recorte histórico abordando temas transversais como cidadania, direitos humanos e democracia. As pesquisas sobre estes personagens recentes da história do Brasil resultam numa exposição em vídeos, e apresentações artísticas.

Cada turma do 1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio adota as histórias de pessoas que tenham sido presas ou desaparecidas políticas durante o período de restrição política da história recente do Brasil. A proposta é promover o encontro entre duas gerações diferentes: os estudantes que estão na escola hoje e aqueles que viveram perseguições políticas durante o período dos governos militares, permitindo que entre ambas ocorra uma troca de experiências. Através desse contato, os estudantes escutarão as histórias vivenciadas pelos presos políticos e/ou seus familiares, construirão um memorial e socializarão suas impressões acerca desse indelével episódio histórico, como forma de gratidão a todos que contribuíram para a conquista do espaço de liberdade atual.

“Como historiadora, sei que a memória não diz respeito apenas ao passado. Ela é presente e é futuro. Os testemunhos que estão sendo dados à Comissão da Verdade, embora sobre o passado, dizem respeito ao presente e apontam para o futuro, por isto mesmo espero que ajudem a construir um Brasil mais justo e solidário. Sei também que da memória, fazem parte o silêncio e o esquecimento. Por isso, nessas minhas fortes lembranças, permeadas por ruídos, odores, cores e dores, estarão presentes ausências e esquecimentos – Dulce Pandolfi- Memória da edição 2017”

Adote no Youtube

Se você não conhece o adote essa é uma grande oportunidade de conhece-lo, e você pode também o assistir pelo Youtube, onde poderá conferir as apresentações, chamadas para o evento e entre outros vídeos. Se inscreva em nosso canal e nos acompanhe!

Programação

Horário Conteúdo
10:00 Abertura “Triste, louca ou má”
10:10 Vídeo de abertura
10:20 Apresentação artística “Mulher do Fim do Mundo”
10:30 Apresentação da memória Dandara dos Palmares, com as turmas dos 1º anos de manutenção e suporte de informática e mecânica
10:50 Apresentação “Santa Profana”
11:00 Apresentação da memória Mãe Biu, com as turmas do 1º e 2º anos A de logística
11:30 Apresentação artística intitulada “Censura”
12:00 – 13:30 Almoço
13:40 Apresentação de homenagem aos desaparecidos da ditadura militar
14:00 Apresentação da memória Dulce Pandolfi, com os 2º anos A e B de manutenção e suporte de informática
14:20 Apresentação artística intitulada “Judeus”
14:30 Apresentação da memória Olga Benário, com as turmas de 1º e 2º anos B de logística
15:00 – 15:30 Lanche
15:40 Apresentação artística sobre Frida Kahlo
16:00h Agradecimentos
16:30h Apresentação de encerramento “Geni e o Zepelim”

Sobre a edição 2017

O projeto Adote uma Memória 2017 é direcionado ao público estudantil, historiador e todos os interessados em se aprofundar nas histórias de quatro memórias imprescindíveis e absolutamente preciosas. Este ano, com todo o apoio da professora idealizadora do projeto na instituição, Analice Rocha, e com grande influência da professora organizadora do Adote esse ano, Cintia Sales, o Adote uma Memória 2017 será voltado ao tema que está sendo tão desmembrado na nossa sociedade atualmente, as mulheres!

Infelizmente, no nosso contexto atual todas as figuras femininas que tiveram uma importância histórica e fizeram muitos relevantes feitos durante algum período não são tão visibilizadas por alguns setores, que focam apenas em alguns lados da história, e quase sempre, não envolvem mulheres. As nossas figuras desse ano não poderiam ser outras, são guerreiras que representam várias outras que tiveram a oportunidade de viver na sua época, e conseguiram se destacar em meio a uma grande sociedade machista.

Isso é refletido na memória de Dulce Pandolfi, que foi presa durante o período de Ditadura Militar e sofreu por todos os tipos de tortura e agressões por apenas ser participativa e de certa forma uma protagonista da política que representava na época; na memória de Mãe Biu, que mesmo sofrendo por todas as perseguições políticas contra a sua religião no Regime Ditatorial do Estado Novo, promovido por Getúlio Vargas, conseguiu reunir com a sua fé toda a sua comunidade e prosseguir aos cultos que deveria possuir por direito; na memória e figura de Olga Benário que foi uma comunista alemã e judia, que lutou contra o governo ditatorial de Getúlio Vargas durante o Estado Novo e acabou sendo perseguida, até ser presa e deportada para Alemanha nazista, e, por fim, na memória da grande guerreira Dandara, uma grande heroína, dominadora de técnicas de capoeira que a motivou a lutar ao lado de diversos homens e mulheres nas muitas batalhas consequentes a ataques contra Palmares. Depois de presa, após uma derrota, a figura que é envolta de muitos mistérios.

Essas quatro figuras femininas conseguem representar a força que cada mulher possuía em épocas distintas, durante uma mesma luta por justiça e por liberdade. Elas serão inesquecíveis e são totalmente necessárias na construção da nossa verdadeira história, com a participação de todos.

Bem-vindos à mais um ano de memórias, histórias e muita arte!

Memórias

Olga Benário

Dulce Pandolfi

Mãe Biu

Dandara dos Palmares

Depoimentos

“Até que ponto é possível o diálogo entre pessoas de idades distantes ser um momento de ensino, pesquisa e aprendizagem? É possível aos jovens de hoje reconhecer nas ações dos mais velhos, no passado, os seus benefícios no presente? Através dessas e outras questões que fui motivada à criação do Adote uma Memória. Fazendo assim, um projeto com o intuito de mostrar aos espectadores que o espaço de liberdade de expressão que vivenciam hoje, é fruto da força de uma história política relativamente recente, mas pouco conhecida. Assim, acreditando que o projeto, vivido em etapas de pesquisa e de produção, atendesse às necessidades curriculares dos estudantes e contribuísse na sua formação cidadã.”

Analice Rocha

Assim que soube do evento tive vontade de dar continuidade, pois trabalha com várias temáticas que são a minha cara. Trabalhar com memória é uma discussão importante para o campo da mesma: Memória não é apenas o que foi vivido, é também o registro que se faz sobre o vivido. Só que uma coisa é lermos sobre algo, outra dimensão é termos vivido determinado evento. Resgatar a memória dessas pessoas é como se voltássemos ao passado, porém, através do olhar desses personagens. Como coordenadora do projeto, espero dar continuidade; fazer os alunos refletirem sobre algumas temáticas e tentar sensibilizar os espectadores sobre os vários momentos de luta política dos personagens escolhidos.”

Cíntia Sales

Realização

Apoio

ADOTE © 2017 – Desenvolvido pelo MIC ETEPAM. Todos direitos reservado