Por que nós devemos falar sobre: Venezuela

1 ago 2017
mucio
280
0

Nos últimos tempos, todos nós percebemos que a Venezuela é pauta de muitos debates, encontramos em todos os setores da sociedade uma certa dúvida e até mesmo uma preocupação com a situação que um país tão próximo do nosso se encontra. Atualmente, nós vemos em todo o tipo de jornal, noticiário ou algo que fale ou sinta o interesse de abordar o assunto, visando toda essa preocupação e a intensidade, complementada por toda a importância, fizemos uma matéria para acrescentar mais no conhecimento de cada um dos estudantes da instituição, ou até interessados na leitura, sobre o que realmente está acontecendo nesse país do norte da América do Sul.

O evento mais impactante dessa crise e próximo de nós aconteceu no domingo passado, 30 de julho: a Assembleia Constituinte. Esse fator provocou que os dois lados, oposição e governo se enfrentaram em diversas ocasiões durante o dia, ambos com posicionamentos explicitamente diferentes, acabaram usando da força por um meio de protesto, isso se reflete na situação totalmente delicada que a política venezuelana se encontra, o governo não respeita os seus opositores e os opositores acabam que, por meio de protestos que almejam serem pacíficos, usam por meio do combate para tentar fazer com que a população se mobilize em prol de um movimento contra Nicolas Maduro e a sua gestão que vem, durante um tempo, enfraquecendo todos os setores importantes e primários do país, por meio de uma sede por poder que acaba prejudicando toda a proposta de caminhada e de superação que deve ser seguida por todas as sociedades. É importante ressaltar que a possibilidade de um conflito civil entre venezuelanos possa acontecer, mas, o globo se mobiliza em prol da paz no país e a resolução de todos os conflitos que hoje estão ativos, também é bastante relevante nós mencionarmos que a Venezuela precisa admitir que o estado deve sempre permanecer em um lugar que esteja acima da ideologia de seus líderes, por muitas vezes, os compromissos firmados entre os políticos para com a sua sociedade foram ultrapassados pelos desejos e interesses pessoais de algumas pessoas, muitas vezes ambos os lados, oposição e governistas, extrapolam no tipo de manifestação que usam para defender a sua liberdade ou a sua continuidade, o que não traz nada de bom ao amadurecimento interno, com o seu povo e todos os quesitos que devem ser estritamente cuidados por esses políticos, e externo capitaneados pelo relacionamento que se deve ter com a maioria dos países do globo. A Venezuela, hoje, não produz nenhuma evolução diplomática, rechaçada pela Mercosul e sem o apoio da maioria das civilizações, com exceção de alguns que preservam e apoiam a continuidade da ideologia dominante.

Hoje, o mundo se mobiliza e se consolida a sua posição contrária a opressão do governo por todas as vítimas deste conflito que parece não chegar a um fim, e toda essa disputa só se aprofundará com a oposição em maioria no parlamento e o governo sem abrir espaços para conversa, qualquer tipo de pacificação ou trégua. Nós devemos ter certeza que na política não existem mocinhos e vilões, esse discurso que a transforma em uma história ou conto de fadas serve apenas para enganar partes da população, infelizmente, que mais sofrem nesses momentos tão difíceis, nessa disputa de um bem e um mal, o país é totalmente ignorado e as pessoas apenas sofrem no meio desse fogo cruzado, isso não faz bem para a sociedade e muito menos para a política, economia, cultura ou qualquer outra coisa que acrescente ou seja necessária para um estado nos dias atuais, ferindo diversos princípios e aprofundando todos nas piores coisas possíveis.

Imagem relacionada

A crise no país se aprofunda e acaba prejudicando alguns setores importantes e necessários para a sociedade. Hoje, uma boa parte da população venezuelana sofre por falta de comida em todos os mercados e a fome se reinstaurou de forma ávida e acabou com a vida de pessoas e toda a população de nível médio acabou sendo afetada e todo o seu sonho se apagou com a volta da fome, piorando as situações humanitárias do país. E falando sobre essa situação, é importante redigir que além de comida, também falta remédio em muitos estabelecimentos venezuelanos, isso provoca uma dificuldade em auxiliar ou continuar no tratamento de algumas pessoas. A crise política acaba tomando todo o tempo e desgastando tudo o que resta na região, todo esse embate acaba fazendo com que esses fatores sejam esquecidos, e mais uma vez o povo vem, não somente pagando a conta, mas também sofrendo nas mãos de tanta irresponsabilidade. Certa vez, uma obra de William Shakespeare, Rei Lear, aborda todo um tema voltado ao poder, e faz com que os seus leitores possam questionar todos esses fatores que provocam e fazem com que a sede pela coroa ultrapasse o bem-estar do reino, talvez, abdicar da sua coroa em um momento tão desestabilizador, visando a melhoria do seu reino, possa fazer com que esse rei não perca a sua majestade, e quando nós forçamos e continuamos ultrapassando e ignorando todas essas questões necessárias para um bem-estar, significa que nós já perdemos a nossa majestade e a coroa serve apenas como um enfeite. Inteligentes, corajosos e visionários são os que colocam o interesse do reino acima dos seus interesses pela coroa ou pelo poder, abdicar do mesmo não faz de ninguém perdedor, mas sim, alguém que abdicou do reinado em prol das necessidades e restauração do seu povo.

Todo esse histórico de problemas nos leva a raciocinar, e participar, mesmo que não fazendo parte dessa cultura, população ou sociedade, mas, sendo um dever cívico e social como ser humano a ser cumprido. O mundo todo se mobilizou em prol do país, a base governista não gostou e até criticou alguns posicionamentos de países como o dos Estados Unidos, mas, recebeu diversas críticas de várias civilizações, de maioria sul-americana, por estarmos tão próximos daquele povo significa que nós devemos ser os primeiros a nos mobilizar em prol dessa sociedade, se informando sobre as práticas do governo que já assassinou mais de cem pessoas, procurando conscientizar o próximo sobre esse momento tão desestabilizador, afinal, é uma coisa importante. Todos nós devemos participar desse debate e cumprir a nossa parte discordando de tudo o que for abusivo e massivo a democracia da Venezuela, e fazer também pela liberdade de toda a América do Sul, que sofreu por muitas décadas exploração na sua origem e pela maioria das nações que viram o seu direito de livre e espontânea vontade se esvair sem mais e nem menos com os governos ditatoriais do continente pouco tempo atrás. Essa questão faz com que a maioria do povo latino-americano se una e lute por qualquer país que seja, a união é estritamente importante e a vontade de ajudar sempre aquele povo acaba ultrapassando qualquer preconceito, e vencendo qualquer restrição à liberdade. A maior arma que podemos oferecer agora a todos que estão sofrendo nesse lugar é a de participar, se mobilizar, procurar saber e contribuir para a consolidação da democracia e liberdade que são inteiramente necessárias nesse momento tão difícil.

Os venezuelanos estão sofrendo bastante com todo esse conflito, a nossa tarefa é a de auxilio, fazer o mesmo que gostaríamos que estivessem fazendo conosco se estivéssemos nessa mesma situação. Receber todos os emigrantes de braços abertos, afinal, eles são nossos irmãos, somos todos latino-americanos que lutam todos os dias aprendendo com o nosso passado e na ambição e desejo de mudar o nosso futuro, com luta, trabalho, educação e liberdade. Portanto, acima de tudo, não podemos permitir que mais nenhum dos nossos amigos sofram por conta de opressão, repressão e qualquer tentativa de desestabilizar o direito ao livre arbítrio.